Todos os textos que tentei escrever ficaram péssimos.
Minha paciência parece ter me abandonado.
O tempo está sempre num ritmo diferente do meu.
Entretanto, para não deixar esta semana “em branco”, recorro a um trecho de Memórias de Adriano, de Marguerite Yourcenar, que poderá ser útil para muitos — se conseguirem colocar o dito em prática — sobretudo eu mesmo.

“Nosso grande erro é tentar encontrar em cada um, em particular, as virtudes que ele não tem, negligenciando o cultivo daquelas que ele possui.”

Anúncios